Por favor, alguém me interdite!

Por favor, alguém me interdite! Eu devo estar com algum problema mental. Talvez um desequilíbrio químico. Ou quem sabe uma fobia social. O primeiro sinal foi conversar com estranhos. Sim, eu nunca converso com estranhos. Quer dizer, às vezes até troco algumas palavras depois de beber drinques, nas baladas. Mas confesso que muitas vezes nem me lembro exatamente o assunto, no dia seguinte. Mas conversar, trocar idéias, daí já é outra história. O segundo sintoma foi o número de horas na Internet. No messenger. Um dia foram 4. Outro dia foram 6. E outro dia foram umas 7, até às 5h da manhã. Por favor, alguém faça alguma coisa! Desliguem o computador. Me obriguem a sair. Cortem a energia da casa. Me dêem um tapa. Ou talvez eu esteja com um parafuso a menos. PS: nas conversas intermináveis eu tive contato com uma autora ótima. leiam. http://www.aliceruiz.mpbnet.com.br/