UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 
Mantras para uma sexta-feira feliz

Se não tiver nenhuma festa hoje, vou baixar todas as músicas do Iggy Pop existentes no mundo. Se tiver festa no outro apartamento, vou colocar fones de ouvidos. Eu tenho um ipod. Eu tenho modelos novos. Eu sou uma fútil (esse é um contra mantra), mas eu sou inteligente e lida. Talvez hoje ninguém me odeie.

Tem gente que gosta de mim. Tem muita gente que gosta de mim. Amanhã eu não trabalho. Amanhã pintarei a unha de rosa (inclusive a dos pés). Em São Paulo não tem praia (ops, acabei de deixar escapar um contra mantra de novo). Amanhã tem uma festa ótima. Meu gato (bicho) agora virou um fofo e parou de me atacar.

Se me atacarem eu sei me defender. Amanhã eu não trabalho (mantra repetido não vale). Pode ser que me perdoem. Se não perdoarem um dia eu vou esquecer. Tem gente que sempre me perdoa. Eu não sou tão má assim. Vai dar tudo certo. Vou ter um novo grande amor. Talvez esteja gostando um pouco de alguém. Um dia eu vou escrever um romance. Um dia eu vou aprender a postar com meu próprio nome nesse blog. Minhas amigas Jô e Raq, tão amadas, perdoam as minhas lesações...    

    

:: Escrito por 02 Neurônio às 00h47
Nessa sexta, dia 24 de março, a gente vai fazer um Bate-papo no UOL. Se vocês quiserem falar com a gente, às 19h, vamos estar online. http://tc.batepapo.uol.com.br/convidados/convid.jhtm
:: Escrito por 02 Neurônio às 21h19
Fotos do lançamento do livro

Umas fotos do lançamento do "Como enlouquecer um homem (mesmo!)", na segunda, na Theodora.


:: Escrito por 02 Neurônio às 20h56

Como tentar curar ressaca moral

 

-  Durma. Não inventaram nada melhor. Inclusive, todas as drogas e calmantes, no fundo, foram feitas para colocar você para dormir.
- Se você estiver sem sono, apele. Filme ruim. Livro chato. Leite morno. Banho quente. Biografias tijolão. Conversa com a mãe sobre os problemas de família.
- Se apóie na solidariedade dos amigos. Sim, nestas horas eles sempre se lembram que com eles também está tudo péssimo. E contam algo ruim que aconteceu com eles. Geralmente, nunca foi tão ruim. Mas faz parte do médoto você fingir que foi também.
- Não tente de apoiar em pontos positivos fictícios. Às vezes, a vida fica trash. Fazer o que?! Não diga coisas como "a noite foi horrível mas pelo menos meu cabelo com escova progressiva estava um luxo!"
- Tente virar budista. Crente. Macumbeira.
- Nâo tente arrumar um bom acontecimento para superar o evento-trash. Talvez você não consiga.
- Pode ser mais fácil arrumar um novo acontecimento trash para superar o anterior. Isso é mais fácil de conseguir. O problema é que na manhã seguinte você terá um novo problema. Mas isso é outro problema....

:: Escrito por Jô Hallack às 11h44

A casa do ex

Por Nina Lemos

(alguém me ensina a conseguir postar com meu nome? Como eu sou retardada! Tenteí várias vezes e não consegui) 

Passei hoje quatro vezes na rua do ex. Quer dizer, era a rua do lado. Nas quatro vezes me testei. Olhei para a janela. A varanda. Onde já fumei várias vezes pelada, ou quase. E eu não senti nada.

Namorado quase sempre é passante. Passa pela nossa vida e nem fica. Um dia você acorda e acabou. Olha, se libertar é tão bom. Tão bom que eu recomendo. Outro sintoma de libertação: nunca mais entrei no orkut dele. Como pode? Sim. FREE, again. Que venham los otros.

E, olha, se alguém me disser que falta homem apanha. Falta nada, queridas. Falta a gente ser menos chata, e parar de falar coisas pentelhas como "falta homem". Eu, heim. Se eu fosse homem, não teria saco para uma mulher que vive dizendo que falta homem. Não mesmo.   

  

:: Escrito por 02 Neurônio às 20h57
O tamanho e a fofoca

Todo mundo sabe que mulheres cultivam a horrível mania de falar dos atributos sexuais dos homens. Isso não é nada bonito. Mas a vida é assim mesmo. Sabemos que vocês tem encanações com a performance de vocês. E que isso é uma bobagem. Mas, se a gente fosse menino, provavelmente seríamos meninos encanados. A pior notícia é que, depois que você cresce, muitas vezes a encanação continua. E a culpa é de quem? Das garotas, que adoram conversar sobre o "tamanho". E dos meninos, que medem os seus órgãos com régua!

Este tipo de informação rende tanto assunto que até virou tema de um site. E um site de groupies. Groupies são aquelas garotas que adoram sair com ídolos do rock. Geralmente, elas sempre catam os roqueiros. Eles acham que foram eles que cataram as garotas. E se sentem incríveis, prazer que só é superado quando eles fazem solos de guitarra (eca!). As groupies, claro, levam a má fama. E resolveram se vingar. Num site, resolveram falar sobre o "tamanho" dos homens de banda!!!! Principalmente dos metaleiros. Sobrou até para os brasileiros.

Eles contam o "tamanho" do baterista do Sepultura e dizem que o Igor Cavallera é muito intenso na cama. Faz tempo que paramos de falar sobre isso (a não ser em casos excepcionais!), mas desta vez não resistimos. Entre as críticas sexuais das garotas, confiram algumas:



Zack De La Rocha , ex-Rage Against The Machine: "É ótimo de cama apesar se ser feio pra caramba. O pau é bom, adora a posição do cachorrinho e é obcecado por brincar com o cabelo das meninas"

John Dolmayan, System Of A Down: "Pau gigante. Ótimo de cama, mas egoísta. Adora receber sexo oral. Isto é, se você conseguir colocar seu pau na sua boca. Mas hesita na hora de retribuir. Não olha na usa cara quando está fazendo sexo"

Eminem: "Ele não é roqueiro, mas todo mundo quer saber. Então, vamos lá. Não é não pequeno, mas é fino. Mas adora fazer sexo oral, recebendo e dando. É paranóico de ser seguido e perseguido"

Flea, Red Hot Chili Peppers: "As pessoas pensam que ele é uma segunda opção para quem não conseguiu pegar o Anthony. Mas ele é muito atraente e intenso. Compacto, mas ponta firme"

Tony Kanal / No Doubt: "Agora a gente entende porque a Gwen Stefani ficou saindo com ele durante seis anos!! Ele tem o pau gigante. E beija bem."

Marilyn Manson: "O deus do sexo não tem do que se gabar".
:: Escrito por raq affonso às 14h36
Lançamento molhado

Saldo do lançamento:

- Um temporal que inundou São Paulo

- Pessoas presas do engarrafamento

- Muitos amigos queridos que não tem medo de chuva

- 18 garrafas de Chandon consumidas

- 54 latas de Vibe tomadas com muita vodka

- Muito autógrafos dados (alguns ilegíveis)

- Um resgate efetuado

- Um casal fofo formado

- Muita ressaca no dia seguinte

:: Escrito por 02 Neurônio às 20h24
Nesta segunda! (dia 20)  vamos lançar nosso quinto livro. Praticamente uma obra! "Como enlouquecer seu homem (mesmo!) reúne crônicas públicadas desde 2000 na Folha de São Paulo. O lançamento é na Theodora, na Galeria Ouro Fino, na Rua Augusta, 2.690, loja 206. Apareçam lá, a partir das 19h. Vaão ter drinques, som e ...livros!
:: Escrito por 02 Neurônio às 15h42
Processo grave de regressão

 

Por Nina Lemos

(que ainda está apredendo a postar em um blog, porque além de regredida é lesada) 

Tudo começou em um show do Wander Wildner. Eu e minha amiga estávamos sentadas num porão esperando o show começar quando ela falou: "que tipo de coque você acha que eu uso na formatura do meu namorado? Coque banana? Coque meio desfiado?" Claro, respondi seriamente com várias sugestões. Aí percebemos que estávamos em um processo de regressão.

Pensa bem. A gente tem mais de 30 e estava em um porão, esperando um show de rock começar, falando sobre penteados para usar em um baile de formatura. Estávamos com 20 anos. "Sim, e é muito adolescente marcar lugar na mesa enquanto esperamos nosso amigo pegar a bebida", disse a J (que não é a Jô). "E é um show onde o cara da banda chega de mochila", nessa hora, a gente quase gritava.

O show foi lindo, lindo, lindo. Eu chorei um pouco, confesso. Virou um hábito desse trio de amigos ir ao show do Wander, sentar e ficar com os olhos cheios de lágrimas. Principalmente na hora em que ele canta uma música em que grita "me dê um motivo para não chorar. Me dê um motivo para não cheirar cola essa noite."

Ops. Eu disse cheirar cola. Que coisa mais adolescente! Mas não. Aquilo ali é dor pra gente grande. Mas depois eu falo mais sobre isso. O fato é que depois do show eu e a J (que não é a Jô, repito) viemos para a minha casa experimentar modelos para ela ir na tal formatura e eu ao lançamento do livro. Fizemos isso histéricamente, de madrugada, Wander no Ipod. A gente gritava coisas como: "você ficou linda com esse vestido estilo princesas". Se é regressão? Olha, quer saber? Dane-se.

Agora, eu tenho um blog. Que também pode ser uma coisa adolescente.

Se é regressão, dane-se. Como disse o meu ex namorado na hora em que a gente terminou (a única coisa certa que ele disse aquela hora): eu sou punk, ainda, de alma. Eu e meus amigos, no nosso carron mawericon. E, quer saber? Como diz a Jô: EU ADORO O NOSSO ESTILO DE VIDA. Nunva tive tanta certeza.      

:: Escrito por 02 Neurônio às 13h45