UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 
Todo carnaval tem seu fim
Os Los Hermanos acabaram. Ficamos tristes. Gostávamos dos discos e fomos num show há muito tempo que todo mundo ficava sentado no chão. Pena.
:: Escrito por raq affonso às 15h19
Ninguém é velha demais para o pogo

Pronto. Aconteceu. Virei uma punk velha. Eu achava que isso rolaria um dia. Mas devo confessar que no intervalo entre ser uma punk (meio de butique, mas de alma íntegra) de 16 anos e uma de 36, aconteceram muitas coisas. Virei classe média burguesa com marido, fui meio clubber (juro), frequentei festas de casal com um namorado... Com tanta coisa assim, perdi a certeza de que um dia viraria uma punk velha.

Mas aconteceu. Voltei a fazer pogo de meninas em shows de rock. Se você não sabe o que é pogo, procure aqui no site um texto que explica exatamente do que se trata. E pogo de menina é uma dança dando pulinho mais calma e fofa. Na primeira vez em que me empolguei e voltei a dançar assim fiquei eufórica! Eu e minha amiga dez anos mais nova demos um show. Depois, eu dizia: ninguém é velha demais para o pogo! No fim do dia, senti um cansaço horrível. Mas na semana seguinte fui lá e fiz a mesma coisa.

E se você acha que é horrível uma mulher de 36 anos ainda ser do rock, pare tudo agora e ouça os mais velhos. Um dia você vai acordar. Terá 36 anos. E, se tudo der certo, terá uma vontade louca de pogar em um show de punk rock. Se as coisas derem mais certo ainda, você dará um mosh!

(Por Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 22h26
A Jane Fonda interior



É sempre assim: passam-se meses numa espécie de inércia. Por causa de muito trabalho, de preguiça, cansaço ou paixão. Baladas. Dai, de uma hora pra outra você encana: tenho que começar a fazer exercícios! Bem-estar físico e mental, todos falam. Não quero embarangar, você pensa.

E na semana passada, numa incrível coincidência, 3 das 3 pessoas do 02 Neurônio, começaram a fazer exercícios. Sem se falarem, sem combinarem, apenas foram lá e começaram. Duas delas, se matricularam na yoga. A outra, resolveu descobrir a Jane Fonda que existia dentro dela e fazer ginástica em casa.

Ginástica é um pouco de exagero. Uma bicicleta ergométrica e uns abdominais. O que siginifica muito, afinal tudo isso é feito de manhã com um bebê junto. Às vezes o bebê resolve ficar em cima das pernas, enquanto os abdominais são feitos, provocando um grau de dificuldade muito maior, nunca antes achado em nenhuma aula de academia.

Mas dizem que quando você começa a fazer exercícios, substâncias químicas são liberadas no seu cérebro e você fica viciada. O tal bem-estar mental. Talvez seja verdade. Afinal, no último sábado a pessoa comprou pesos e um colchão para realmente virar uma Jane Fonda.

Agora só falta só falta o collant e o corpão!

:: Escrito por raq affonso às 09h00