UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 
 
 

Quando ela vem...

Tem dias em que ela, a tristeza, vem com tudo. Chega inesperadamente e quase arma um barraco, tal qual é a força de sua entrada. Puxa, e ela nem foi convidada! Saco. Ok. A vida é dura, como diria o Sean Penn. Então, se você for vivo, receberá sua visita vez por outra. E já que ela chegou..

Que seja bem recebida. No momento, com uma antiga canção do Radiohead, para que você possa cantar junto com ela: "I lost myself, I lost myself". E com uma leitura daquele velho livro do Pessoa, aberto em cada uma das visitas dela desde os seus 15 anos de idade. "No dia triste, meu coração mais triste que o dia." Os amigos vão logo saber que você tem visita. Já que você e a tristeza em geral se recusam a sair juntas. Ela prefere ficar em casa, que é lugar quente. Não gosta de se demonstrar escandalosamente nas ruas. Discreta, essa sua tristeza que te visita.

Assim como chegou de surpresa, ela vai. É uma visita relâmpago, E, nossa, ainda bem que seja assim. No dia seguinte ela já foi embora. Claro, você fica meio baqueada com a visita. Ela deixa de lembrança um certo cansaço, os olhos ainda inchados. Mas mesmo assim, algumas horas depois dela ter ido embora, voê pinta os olhos só de raiva. E, para se vingar da visitante, pinta as unhas com um esmalte chamado Desejo. Existe, juro, é da Risquê.

(Por Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 18h06
O apocalipse do show do Radiohead

Ir para um show de rock exige um certo esforço depois dos 30. Antes, você ia a qualquer lugar que tivesse alguém tocando 3 acordes. Hoje em dia, você pensa umas cinco vezes mesmo quando se trata da banda da sua vida, tipo o Radiohead. E toma uma grande xícara de café, antes de começar uma longa jornada para o tal evento.

 

Mas mesmo que você pensasse que o show pudesse ser uma roubada, você iria. Afinal, "Ok Computer" é um dos discos que você mais ouviu na sua vida. Mas mesmo que você pensasse o pior, você nunca imaginaria o que aconteceu no show de São Paulo, no domingo à noite. Porque por mais não-civilizado que você pense que um show de rock no Brasil pode ser, você não imagina que vai acontecer alguma coisa desse porte num show em que os organizadores cobram R$200 pelo ingresso.

 

Vamos aos fatos: você demorou 2 horas e meia para chegar até o show. E duas horas e meia para voltar do show. Ou seja: daria para ter ido para o Rio de carro para ver o show de lá! Com mais um pouco, daria para pegar um avião e ter ido ver o show no México, ou em qualquer outro país mais civilizado, tipo o Chipre, o Surimane ou o Paquistão.

 

Mas talvez os organizadores não tenham pensado nisso quando resolveram fazer o show num lugar sem estrutura. Ou contaram que fãs tão ardorosos como eu, não se importariam em parar o carro num estacionamento que era no meio de um matagal. E ficaram parados por uma hora e meia até conseguir sair, porque o estacionamento não tinha estrutura e deu um nó no trânsito. Mas eles tinham noção que os fãs pagariam R$35 para o tal estacionamento. E que na hora do nó no trânsito, todos os funcionários do tal estacionamento já tinham ido embora, afinal já eram quase duas horas da manhã, e eles deviam estar cansados de ganhar tanto dinheiro com otários como eu.

 

Tirando tudo isso, o show foi incrível. Todos os amigos foram, mas você não conseguiu encontrar ninguém porque os telefones não funcionavam em local tão ermo. A única coisa ruim, foi a certeza de que você nunca mais vai em shows em lugares roubadas. Ou talvez, isso tenha sido a melhor coisa.

 

:: Escrito por raq affonso às 20h43
 
 

O que vocês veêm nele?

"As mulheres piraram, ficavam gritando na frente do palco como se o Thom York fosse lindo", comentou um menino na saída mega tumultuada do show mega lindo do Radiohead. O que o menino não sabe é que nós, moças, achamos o Thom York lindo, sim. Na verdade, temos certeza de que ele é maravilhoso.
Sim, ele tem orelha de abano, um olho mais fechado que o outro, é todo mal-diagramado, como diz o amigo Xico Sá; Mas é por isso também que achamos o Thom lindo. Não nos venham com Fabios Assunções ou outras belezas óbvias. Somos capazes de enxergar maravilhas naqueles olhos (um mais aberto que o outro).
"Mas você só diz que ele é lindo porque ele é o Thom York do Radiohead", diz o meu amigo. "Não, não", eu respondo. "Se eu encontrasse um cara igual a ele que fosse legal, ia achar esquisito, mas lindo." Não sei se convenci o amigo. Mas em um mundo de pessoas botacadas (até homens, socorro) é muito bom ver que existe weirdo assumido nesse mundo. E melhor ainda ver 30 mil pessoas cantando junto com ele. (Nina Lemos).

:: Escrito por 02 Neurônio às 15h05