UOL Estilo UOL Estilo






Meu perfil
BRASIL, Mulher, Portuguese

Neste blog Na Web

 Visitas  
 
Confissões de uma ex-louca do Natal

Eu já fui a louca do Natal. Na verdade, passei toda a minha adolescência fazendo esse papel. Eu era aquela que chorava, que reclamava da hipocrisia, ou que se trancava no banheiro para chorar. Eu era a chata do Natal, aquela que se acha A incompreendida. Conversei com alguns amigos. Vários deles também foram Os loucos do Natal. Atitudes de uma dessa pessoa desse tipo:

Tentar trocar a trilha sonora da festa familiar. Você pega o disco da Simone cantando canções natalinas, tira de lá, e coloca um do Nick Cave.

Brigar com um parente distante por causa de política. E ficar com lágrima nos olhos. E acabar gritando que você faz parte de uma família burguesa que jamais vai te compreender.

Ter ciúme de criança de sete anos.

Mas, bem.. A gente cresce. Hoje, o Natal não me deprime mais. Não que eu morra de alegria. É uma data. Eu encontro a família. Brinco com as crianças. E pronto. Depois passa. E eu vou encontrar os meus amigos no Reveillon, que também é só uma data. Claro, só sei disso agora. Porque eu também já fui A Louca do reveillon.

Entrava em crise, surtava, deprimia. Hoje é só um dia em que tem festa. Encontro os amigos. Me divirto com eles e em geral vou embora mais cedo. E é só.

Se você é uma louca do Natal e está lendo esse texto, não, eu não estou te criticando nem me fazendo de superior, nada disso. O mundo precisa de Loucos de Natal. E acredito que essas pessoas são sensíveis e inteligentes (narcisa!). Então, surte. Mas pense que um dia isso vai passar. E você, adulta, vai poder compreender aquela prima ou sobrinha que tomou o seu lugar e agora é a Louca do Natal. Não faça pouco dela. Ela precisa de compreensão. Sua loucura é legítima. Mas um dia ela passa. Juro.

(Nina Lemos)

:: Escrito por 02 Neurônio às 09h50